Procurador que cuspiu em funcionária de cinema responde na Justiça por dívida de R$ 22 mil de IPTU

  • 10/07/2024
(Foto: Reprodução)
Município de Belo Horizonte iniciou a cobrança em setembro do ano passado, e partes chegaram a um acordo, que ainda não foi concluído. Homem tenta agredir funcionária de cinema em Belo Horizonte Reprodução/ circuito de segurança O procurador da Advocacia-Geral de Minas Gerais (AGE-MG) que foi flagrado por câmeras de segurança cuspindo e tentando agredir uma funcionária de cinema responde na Justiça por uma dívida de R$ 22,3 mil de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). As partes chegaram a um acordo, ainda não concluído. A funcionária do cinema, localizado em bairro nobre de Belo Horizonte, denunciou o servidor público à polícia. Ela disse que ele esmurrou a porta da sala pedindo por uma pipoca e também tentou agredi-la (veja o vídeo e relembre o caso abaixo). O município de Belo Horizonte moveu uma ação contra Bruno Resende Rabello, em setembro do ano passado, pela dívida referente ao imposto de uma sala comercial localizada no Centro da capital. No decorrer do processo, as partes chegaram a um acordo, que começou a ser cumprido em janeiro deste ano e ainda não foi concluído. Não há detalhes sobre o teor desse acordo nem sobre o período referente ao valor da dívida. O processo foi arquivado provisoriamente, mas pode ser reaberto caso os termos não sejam cumpridos. Bruno Resende Rabello é procurador do estado e atua na Procuradoria de Direitos Difusos, Obrigações e Patrimônio de MG, com salário bruto atual de mais de R$ 32 mil. O g1 procurou a Prefeitura de Belo Horizonte e aguarda retorno. A reportagem tenta contato com a defesa de Bruno Resende Rabello. Homem cospe e tenta agredir funcionária de cinema em Belo Horizonte Cusparada e tentativa de agressão O caso foi registrado na noite de segunda-feira (8) no cinema de um bairro nobre da Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Câmeras de segurança mostram o momento que o homem cospe e tenta agredir a funcionária. Segundo a mulher, de 25 anos, ao chegar à recepção com o pedido de outro cliente, ela encontrou o homem esmurrando a porta, dizendo que queria a pipoca dele – na sessão que ele tinha comprado, os produtos são entregues dentro da sala de cinema, mas os refis devem ser repostos pelo cliente, fora. "Pedi para o meu gerente mandar o pedido dele pelo elevador e, quando fui entregar, ele puxou a bandeja da minha mão, falando que queria o refil na sala de cinema. Eu tentei explicar que a gente não faz o refil dentro da sala, que a pessoa vai na recepção para repor, e ele continuou a gritar, falando que eu era obrigada e que iria me filmar", contou a funcionária, que não quis ser identificada. Ela disse que foi seguida pelo homem na recepção. Imagens registradas pelo circuito de segurança mostram o cliente gesticulando, filmando a mulher com o celular e, em determinado momento, tentando agredi-la. Ele ainda a teria chamado de incompetente. "Ele estava a todo momento gritando, muito exaltado, querendo de qualquer jeito ir para cima de mim. Eu me senti muito ameaçada", contou a vítima. Segundo o boletim de ocorrência da Polícia Militar (PM), o gerente chamou a polícia, mas o suspeito fugiu do local. Na nota da compra havia o CPF dele, que possibilitou a identificação. A AGE-MG disse que "não compactua com eventuais desvios de condutas de quaisquer de seus integrantes, ainda que fora de suas atribuições institucionais, preservado o direito ao contraditório e a ampla defesa". Vídeos mais assistidos do g1 MG

FONTE: https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/noticia/2024/07/10/procurador-que-cuspiu-em-funcionaria-de-cinema-responde-na-justica-por-divida-de-r-22-mil-de-iptu.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Anunciantes